sair

Tecle enter ou retorno para busca

Aulas à distância durante a pandemia: possibilidades e desafios para os estudantes Andreia S. de Souza, Simone Sanches, Maria Alice Fontes


Neste momento, por conta da COVID-19, aproximadamente 290 milhões de crianças e jovens em todo mundo estão sem frequentar a escola. Alguns países têm adotado estratégias de educação online para garantir a continuidade das atividades curriculares.

As experiências de aprendizado online em resposta a uma crise pandêmica, como vivemos atualmente, são totalmente diferentes da realidade oferecida nos cursos à distância preparados para esse formato ou o famoso homeschoolling, que já acontece em alguns países.

Os profissionais da área educacional, do ensino infantil à pós-graduação tiveram pouquíssimo tempo para se adaptar a esse novo formato e cada instituição, empenhou-se para adequar um sistema tão complexo para o formato digital.

O papel do educador passa por uma ressignificação, tornando-o mais um mediador, coautor e curador do conhecimento, colocando-o diante de diversos desafios, dentre os quais:

- Selecionar materiais atrativos e de alta qualidade;

- Ampliar o repertório dos estudantes;

- Otimizar o tempo, incentivando a participação dos alunos;

- Estimular a lógica da complexidade e da interdisciplinaridade.

O isolamento social imposto de maneira abrupta teve um impacto emocional tanto para os educadores quanto para os alunos e suas famílias. Alguns desafios consideráveis para os estudantes, nesse formato online, são:

- Falta de convivência física e social com os pares;
- Aumento da ansiedade frente às mudanças ocorridas na rotina familiar e escolar;
- Manutenção do foco e atenção perante a tela, exigindo maior esforço do que no formato presencial;
- Falta de um ambiente adequado para a aprendizagem;
- Na maioria das vezes, as crianças menores, necessitam de um adulto/tutor para mediar algumas propostas educacionais que ainda não tem autonomia para realizá-las;
- Falta de acesso a ferramentas colaborativas e métodos envolventes que promovam a inclusão e personalização dos temas abordados nas aulas entre outros desafios pessoais ou coletivos;
- Alteração de sono e irritabilidade frente às novas demandas e exposição excessiva à ferramentas tecnológicas.
Algumas possibilidades que as aulas online propiciam para alguns estudantes:
- Maior autonomia e domínio em relação ao uso de ferramentas tecnológicas;
- Experiências de aprendizagem diferenciadas, por meio da gamificação e aplicativos educacionais;
- Maior flexibilidade na organização do tempo, frentes às demandas propostas;
- Possibilidade de realizar atividades com o grupo (forma síncrona) ou individualmente (forma assíncrona);
- Oportunidade de refletir e aplicar o conceito da ética, pois o aluno pode ou não consultar materiais, sites, colegas, entre outras fontes, durante a realização de avaliações.

Com essa mudança repentina da sala de aula em muitas partes do mundo, alguns estão se perguntando se a adoção do aprendizado online continuará a persistir após a pandemia e como essa mudança afetaria o mercado educacional mundial. Vale ressaltar que mudanças tecnológicas não são mudanças metodológicas.

É claro que a pandemia interrompeu totalmente um sistema educacional que muitos afirmam já estar perdendo sua relevância. Em seu livro, 21 Lições para o século XXI, o estudioso Yuval Noah Harari descreve como as escolas continuam a se concentrar nas habilidades acadêmicas tradicionais e na aprendizagem mecânica, em vez de habilidades como pensamento crítico e adaptabilidade. A mudança para o aprendizado online poderia ser o catalisador para criar um método novo e mais eficaz de aprendizagem?

Independente qual seja o método utilizado, a escola continuará sendo o local propício para o encontro entre seus pares, desenvolvimento de suas percepções, diálogos e questionamentos a respeito de si e do próximo, papel fundamental nas relações interpessoais.

 

Bibliografia
HARARI, Y. N. 21 lições para o século 21. São Paulo: Companhia das Letras, 2018
SILVA, M (org). Educac?a?o online. Sa?o Paulo: Loyola, 2003.
HARASIM, L. et al. Redes de aprendizagem: um guia para o ensino e aprendizagem on line. Sa?o Paulo: Senac, 2006.
"Coronavirus and Higher Education Resources" Bryan Alexander blog, March 17, 2020.

 

2020-07-10

Plenamente Online

Informe seu e-mail* e receba nossos boletins

*Solicitaremos a confirmação na tela seguinte.
**Nunca usaremos suas informações para envio de spam