sair

Tecle enter ou retorno para busca

Há uma forma correta de dar broncas nos filhos? Maria Alice Fontes


Na realidade, existem várias ferramentas comportamentais para educar os filhos, melhores do que dar broncas. Nós acreditamos que os filhos se comportam melhor quando eles se sentem bem. O processo de educação é longo e tem o objetivo de formar pessoas com habilidades de vida e não apenas responderem a broncas devido ao medo.

O ser humano tem uma tendência natural de focar nas falhas dos filhos e acha difícil resistir a vontade de criticar e dar broncas. Claro que sabemos que uma boa bronca funciona a curto prazo. Mas a tendência é precisar dar broncas cada vez maiores para obter o mesmo resultado. Por outro lado, quando criamos filhos com respeito, focando em soluções e em habilidades sociais e de vida, estamos num processo de educação que tem resultados a longo prazo.

Assim, em vez de dar uma bronca e mandar, vale utilizar as perguntas:

Uma das recomendações da Disciplina Positiva, escrita pela Dra Jane Nelsen e colaboradores é PERGUNTAR no lugar de MANDAR.

Quando MANDAMOS em alguém, criamos uma tensão fisiológica no corpo daquele que recebe a mensagem, gerando uma resposta automática do cérebro para resistir.

PERGUNTAR gera relaxamento fisiológico e envia uma mensagem para o cérebro procurar por uma resposta.

Nos sentimos capazes a medida que procuramos uma resposta interna para uma pergunta, em vez de provocar uma oposição a um comando. Ao sermos questionados é mais provável que nos inspiremos a contribuir.

Exemplos:

MANDAR:
1 - Escove os dentes.
2 – Pegue o casaco.
3 – Faça sua lição de casa.
4 – Pare de brigar com seu irmão.
5 – Coloque os pratos na lavadora de louças.
6 – Corra e se vista ou você vai perder o ônibus.
7 – Pare de choramingar.
8 – Guarde seus brinquedos.

PERGUNTAR:
1 – O quê você precisa fazer para que seus dentes fiquem completamente limpos?
2 – O quê você precisa levar para não sentir frio na rua?
3 – Qual seu plano para completar a lição de casa?
4 – Como você e seu irmão podem resolver este problema?
5 – O quê nós combinamos sobre o que fazer com os nossos pratos quando terminamos de comer?
6 – O quê você pode fazer para pegar o ônibus na hora certa?
7 – Como podemos nos comunicar com mais respeito?
8 – Qual é sua responsabilidade quando termina de brincar com seus brinquedos?

Procure sempre PERGUNTAR, em vez de MANDAR e logo perceberá o resultado nos seus relacionamentos!

Desenvolvido pela Dra. Jane Nelsen, a disciplina positiva é um programa baseado no trabalho do psicólogo Alfred Adler e do psiquiatra e educador Rudolf Dreikurs, ambos austríacos. O objetivo do método, difundido no Brasil recentemente, é encorajar crianças e adolescentes a se tornarem responsáveis, respeitosos, resilientes e aptos a solucionarem os próprios problemas ao longo da vida. A filosofia se baseia em cinco princípios e aponta mais de 50 ferramentas para ajudar os adultos a desenvolverem as habilidades que desejam para as crianças.

Cinco princípios da disciplina positiva:

1. Ajudar a criança a se sentir conectada: sentir que é aceita na família e/ou na escola e que é capaz de contribuir
2. Encorajar o respeito mútuo: agir com firmeza e gentileza ao mesmo tempo. Os adultos tornam-se o modelo de respeito que desejam ter
3. Ser eficaz a longo prazo: considerar o que a criança está pensando, sentindo, aprendendo e decidindo sobre si mesma e sobre o meio social
4. Ensinar habilidades sociais e de vida: respeito, cuidado com os outros, resolução de problemas e cooperação
5. Incentivar a descobrir as próprias capacidades: encorajar o uso construtivo do poder pessoal e o desenvolvimento da autonomia

Quando é que a criança começa a entender as correções que os pais dão?

Na realidade a criança entende a falta de conexão dos pais desde bebês. Veja o experimento da cara inexpressiva para entender que todas as crianças querem se sentir aceitas e importantes. https://www.youtube.com/watch?v=ieaDGPfbiB4 Quando os pais fazem correções, eles se desconectam afetivamente dos filhos e os resultados são sempre desencorajadores:

O que os pais podem fazer de errado na hora de dar broncas nos filhos?

O que os pais precisam é ser firmes quando necessário, mas isso não implica em darem broncas.

A gentileza é importante para mostrar respeito pela criança. A firmeza é importante para mostrar respeito por nós mesmos e pelas necessidades da situação. Métodos autoritários geralmente carecem de gentileza. Métodos permissivos não possuem firmeza. Gentileza e firmeza são essenciais para o processo de educação.

Muitos pais e professores tem dificuldades com esse conceito por muitas razões. Uma delas é que muitas vezes eles não se sentem gentis quando uma criança "aperta seus botões". Mas, se os adultos querem que as crianças controlem seu comportamento, será demais pedir que os adultos aprendam a controlar seu próprio comportamento? Frequentemente, são os adultos que devem dar um tempo de espera positivo até que possam sentir-se melhores, para que possam fazer melhor.

Você pode falar para o seu filho: “eu te amo e a resposta é não”, sendo gentil e firme ao mesmo tempo. Outras frases que juntem firmeza e gentileza podem ser:

Eu sei que você pode dizer isso de uma maneira respeitosa.
Eu me preocupo com você e esperarei até que possamos estar calmos para continuar esta conversa.
Eu sei que você pode pensar em uma solução par essa situação
Nós vamos falar sobre isso mais tarde.
Agora é hora de entrar no carro. (Quando criança está tendo uma birra.)
Precisamos sair da loja agora. Nós tentaremos novamente mais tarde (ou amanhã).

Qual a consequência para as crianças? É possível que tenha o desenvolvimento prejudicado por erro dos pais?

Uma das ferramentas em Disciplina Positiva é que os "erros são ótimas oportunidades de aprendizagem". Todos aprendemos observando. Os adultos podem e irão errar, mas aprenderão ferramentas para reparar seus erros e focar em soluções.

Segundo Rudolf Dreikurs: “Assim como as crianças precisam de treinamento, os pais também precisam ser treinados. O treinamento consiste em aprender novas respostas às provocações das crianças, e que pode levar a novas atitudes e abrir novos caminhos onde florescem relacionamentos harmoniosos.”

 

2019-11-08

Informe seu e-mail* e receba nossos boletins

*Solicitaremos a confirmação na tela seguinte.
**Nunca usaremos suas informações para envio de spam