sair

Tecle enter ou retorno para busca

Enfrentando as festas de final de ano após uma perda significativa. Claudia Petlik Fischer, Maria Alice Fontes


Alguns momentos do ano podem ser muito difíceis de enfrentar, especialmente quando houve uma grande perda na família. A sociedade encoraja todos a participarem das festas de forma alegre, mas as lembranças familiares, sons e cheiros podem desencadear memórias do ente querido que já se foi. Não existe uma recomendação simples que vá tirar a sua tristeza, no entanto, algumas sugestões podem ajudar a lidar com os sentimentos de tristeza e as situações desafiadoras durante a fase de festas de final de ano.

Seja gentil com você emocionalmente e fisicamente

• Sono: tente dormir adequadamente; 
• Alimentação: seja moderado com comida e bebida.;
• Álcool e medicamentos: evite abusos;
• Exercícios: fazer alguma forma de exercício todos os dias pode ser muito bom para a mente e o corpo; 
• Isolamento: esteja atento à tendência ao isolamento – busque conversar com, pelo menos, uma pessoa por dia; 
• Dor: reconheça sua dor, ela pode aparecer de várias formas como raiva, depressão ou ansiedade;
• Converse: se possível, fale abertamente sobre seus sentimentos com amigos ou parentes; 
• Diário: tente escrever pensamentos e sentimentos para expressar emoções profundas.

Avalie as suas necessidades e permita que outros ajudem:

• Eventualmente tudo o que você precisa em alguns momentos é compartilhar uma foto ou história de seu ente querido, receber uma visita breve, um café ou ter alguém apenas para escutar;
• Nem todas as pessoas poderão dar o que você precisa. Deixe-os fazer o que puderem; 
• Aceita a ajuda de amigos ou familiares de acordo com a sua disposição, as pessoas a sua volta se sentem muito bem em contribuir de alguma forma;
• Aprenda a receber gentilmente o que receber, sem um senso de obrigação para retribuir.

Dê a si mesmo a permissão para fazer o que é bom para você:

• Decida quais as tradições familiares você se sente confortável e quais você gostaria de mudar;
• Manter algumas tradições pode ser reconfortante para outros membros da família e acolhedor para crianças em luto;
• Estruture seu tempo e atividades. Isso irá ajudá-lo a evitar apenas reagir a tudo o que acontece e ser pego de surpresa;
• Decorar ou não é sua decisão. O que você escolher estará bem.

Coisas adicionais que você pode fazer:

Não há problema em incluir o nome do seu ente querido na conversa. Se você é capaz de falar abertamente, aqueles com quem você está conversando podem reconhecer sua necessidade de lembrar essa pessoa especial.

Memórias são legados poderosos que existem após a morte. Abrace e valorize as memórias ou as reviva e liberte-as. Se sentir vontade, compartilhe livremente com a família e os amigos.

Você pode encontrar um renovado senso de fé ou descobrir um novo conjunto de crenças. Junte-se àqueles que compreendem e respeitam sua necessidade de falar sobre essas crenças.

Dizem que lidar com a morte de alguém que amamos é a mais dolorosa de todas as experiências humanas. Tristeza não é fraqueza, mas significa simplesmente que você tem um enorme “buraco no coração” que não pode ser preenchido por ninguém ou qualquer outra coisa. Trate-se com gentileza como faria com alguém que estivesse passando por esse tipo de dor. Você encontrará conforto e força em sua capacidade de sobreviver à tristeza.

Lembre-se que você também pode se divertir. Apreciar as festas não significa que você esqueceu do seu ente querido ou que não sente falta dele. O amor não termina com a morte. Acredite que você é capaz de sobreviver a este momento difícil, mesmo que você sinta que isso nunca vai melhorar. Tenha fé que melhora virá com o tempo.


Referência:

 

www.sightlife.org

Bereavement Publishing Inc. and For Those Who Give and Grieve, fall issue 2007; a NKF publication

 

2018-12-24

Informe seu e-mail e receba nossos boletins

*Nunca usaremos suas informações para envio de spam