Página Inicial

Amizades promovem melhor ajustamento social e emocional.

Estudantes que mantêm uma rede de amigos próximos desde o começo da 6ª série são mais adaptados emocionalmente e cooperativos do que estudantes que não têm amizades recíprocas, de acordo com o estudo publicado em junho no Journal Educational Psychology (vol. 96, nº2).

Segundo a psicóloga Kathryn Wentzel, PhD da Universidade de Maryland e colegas que conduziram o estudo, “não é apenas ter um amigo que impulsiona a adaptação social e escolar, também é importante ‘ser’ amigo. De fato, amizades recíprocas mostraram influenciar tal adaptação até mesmo dois anos depois, na 8ª série”.

Os pesquisadores examinaram 242 estudantes do Ensino Fundamental em seus padrões de amizade e níveis de adaptação na 6ª série e nos dois anos subseqüentes. Alunos e professores preencheram questionários para avaliar o comportamento dos estudantes e seus amigos. Para determinar as amizades recíprocas, os pesquisadores solicitaram aos estudantes a identificação até 3 dos seus melhores amigos na lista dos colegas de classe e depois fizeram um cruzamento destas listas.

De acordo com o estudo, 72% dos alunos tinham ao menos uma amizade recíproca durante a 6ª série. Aqueles estudantes com amigos coincidentes foram considerados por seus pares como mais cooperativos e dispostos a compartilhar com os outros do que aqueles sem amigos. Estudantes sem amizades recíprocas, por outro lado, mostraram maiores níveis de estresse emocional, tristeza e baixa auto-estima. Ao final do Ensino Fundamental (8ª série), os primeiros mostraram-se melhor, ao passo que aqueles que não tinham amigos na 6ª série continuaram relatando maiores queixas emocionais. Embora a falta de amigos na 6ª série possa causar uma decaída nas notas escolares, a maioria dos estudantes sem amigos não apresentou piora na sua performance acadêmica no momento em que atingiram a 8ª série, de acordo com relatórios escolares e avaliações de professores.

“Amigos e amizades são especialmente importantes nessa idade. Durante o início da adolescência, os estudantes começam a formação da identidade adulta baseado em parte em suas interações com seus pares. Eles também tendem a procurar ajuda e suporte entre eles enquanto fazem outras importantes transições físicas e cognitivas”, afirmou Wentzel.

Os estudantes são freqüentemente motivados a agir de acordo com o grupo e a adotar comportamentos similares daqueles com os quais têm um vínculo emocional forte, por exemplo, os estudantes geralmente serão mais sociáveis quando tiverem amigos sociáveis. Com isso, o estudo sugere que uma característica de sociabilidade de um aluno na 6ª série pode prever seu comportamento social e até emocional dois anos depois, em parte porque o mesmo define objetivos para se comportar de forma mais positiva, diz Wentzel. Entretanto, o mesmo não parece ser verdade em relação ao rendimento acadêmico. Embora amigos frequentemente apresentem similaridades no desempenho escolar, eles tendem a ter pouca influência na motivação e desempenho escolar uns em relação aos outros. Professores e pais podem ser mais influentes nos meios acadêmicos.

Este texto foi traduzido e adaptado pela Plenamente do site www.apa.org/ e encontra-se publicado (Monitor on Psychology, vol.35, nº 7, agosto/2004)
 

2005-01-17 00:00:00

Profissionais relacionados

  • Não existe(m) profissionais relacionados!

Temas relacionados

Assine nosso Informativo

Cadastre-se gratuitamente e receba nossos Boletins:
CRP/SP: 3605/J
R. João da Cruz Melão 443, Morumbi, SP (mapa)
© 2017. Clínica Plenamente.
O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.