Página Inicial

Desafios da orientação profissional e da escolha de uma carreira para os jovens. Erika Azevedo, Maria Alice Fontes

Escolher uma carreira profissional é um dos principais dilemas que acompanham os jovens no final do Ensino Médio. As preocupações se estendem às famílias que de alguma forma incentivam os filhos para carreiras que julgam ser promissoras. Os desafios dos jovens começam pela multiplicidade de cursos e opções, passam pelas dúvidas sobre quem eles são e qual o estilo de vida querem ter e acabam com a pressão indireta dos pais.

Como ajudar os jovens nesta fase de vida?

Conhecer a si mesmo, as possibilidades no campo de trabalho, as diferentes carreiras, os cursos e os tipos de formações podem auxiliar o jovem. O objetivo principal seria compreender melhor seu funcionamento interno, possibilitando que ele faça a escolha baseada nas suas habilidades e desejos. As marcas das identificações e a vontade de corresponder às expectativas das pessoas significativas em sua vida são questões que o jovem tenta atender. Além disso, ele se vê frente ao mercado de trabalho com um grande campo de possibilidades, passando por um período de ruptura pessoal para se posicionar frente à sociedade.

Uma multiplicidade de profissões, áreas de estudo e cursos se apresentam como possibilidades, deixando o jovem muitas vezes, confuso diante de tal complexidade. Na maioria dos casos, quando são chamados a refletir sobre as dificuldades e possibilidades do mercado de trabalho para escolher uma profissão, usam meios não muito seguros, recorrendo a mitos e ideologias que inicialmente, os tranquilizam e diminuem as suas ansiedades, mas não são verdadeiras saídas.

Quais são os modelos de Orientação Profissional?

Existe uma variedade de modelos teóricos e modalidades de intervenção em Orientação Profissional (OP). Esta área tem-se mostrado em constante evolução, passando de uma orientação apoiada em testes psicométricos, para uma abordagem que tenta acompanhar as mudanças de paradigmas e a mudança radical do mundo do trabalho, que valoriza os processos de aprendizagem envolvidos na escolha profissional.

Neste contexto, um grande avanço no trabalho de Orientação Profissional é a organização de grupos de jovens, pois este favorece a discussão entre pares, aspecto tão importante nesta etapa de vida. O olhar crítico de si mesmo e do outro, pode abrir discussões ricas favorecendo o posicionamentos com suas implicações na construções de si e na visão da sociedade.

Qual modelo de Orientação Profissional tem maiores chances de ajudar o jovem?

O modelo que favorece o conhecimento das várias possibilidades, associado a discussão em grupo e que considera o indivíduo como o único responsável pela escolha profissional é aquele que tem maiores chances de ajudar os jovens. O trabalho deve proporcionar os questionamentos dos jovens, e trabalha-los sob uma perspectiva da psicologia clínica, considerando o entroncamento entre a sua vida e o momento de escolher sua carreira profissional, com a problemática específica do ato de escolher.

O trabalho de Orientação Profissional deve: a) compreender a estrutura de personalidade de cada jovem em particular, considerando a crise de identidade da adolescência; b) conversar sobre seu histórico escolar e familiar; c) trabalhar a identidade vocacional e a maturidade para escolher.

Acreditamos que este processo, quando bem conduzido por um profissional, pode ter boas chances de ajudar o jovem a enfrentar este tradicional e desafiador dilema. 

 

Veja os detalhes do nosso trabalho aqui: http://www.plenamente.com.br/novidades/22/workshop-orientacao-profissional-clinica-plenamente.php#.U-ANLKi7j7c

2014-08-04 00:00:00

Temas relacionados

Assine nosso Informativo

Cadastre-se gratuitamente e receba nossos Boletins:
CRP/SP: 3605/J
R. João da Cruz Melão 443, Morumbi, SP (mapa)
© 2017. Clínica Plenamente.
O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.