Página Inicial

O uso/abuso de álcool na adolescência

A adolescência é um período marcado por mudanças intensas tanto no plano físico como no psicológico. A crise de identidade nessa fase da vida representa um importante fator de risco para o uso de substâncias psicoativas pelos adolescentes.

 

O abandono da vida infantil e a aproximação do mundo adulto produzem importantes mudanças e obrigam o indivíduo a reformular os conceitos que tem a respeito de si mesmo e que o levam a abandonar sua auto imagem infantil e projetar-se no futuro de sua vida adulta. A intensidade desta crise de identidade vai depender entre outros fatores, de suas características de personalidade, do ambiente familiar, social, cultural e da forma como o jovem exterioriza seus conflitos.

 

Nesse período de transição, a característica de experimentar o que é novo, buscar desafios e emoções estão presentes de forma significativa, embora seja relevante destacar o poder da mídia sobre o comportamento social.[1] Não raro, divulgam-se nos comerciais de tv as imagens de jovens bonitos, saudáveis e felizes consumindo bebida alcoólica, um fato que pode influenciar na decisão do adolescente em crise, predispondo-o à ingestão de álcool.[2]  

 

Defende-se ainda, que consumir bebida alcoólica com freqüência é uma sinalização do adolescente aos pais de que algo em sua vida está errado, e que assim, necessita de ajuda.[3]

 

Embora não seja ilícito, o álcool é uma droga, e para muitos jovens no mundo todo, é a principal substância psicoativa utilizada.[4] Em nosso país a situação não é diferente, uma vez que existe o acesso fácil às bebidas alcoólicas, e seu consumo é aceito e estimulado socialmente.

 

Para se ter uma idéia de quão agravante é o problema, uma pesquisa realizada com estudantes do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de 10 capitais brasileiras, revelou que 65% dos jovens consomem álcool, dos quais 50% usou pela primeira vez entre os 10 e 12 anos de idade.[5] A prevalência de jovens entre 12 e 17 anos de idade dependentes de álcool é de 5,3% para meninos e 2,5% para as meninas. O número de casos de alcoolismo entre garotas adolescentes têm aumentado, pois atualmente as meninas têm mais liberdade para freqüentar locais onde se consomem bebidas alcoólicas, e que eram até pouco tempo atrás, redutos quase que exclusivamente masculinos. A partir dessa mudança social, as jovens passaram a apresentar um consumo de álcool semelhante ao de seus colegas. 1

 

Dados norte-americanos mostram que cerca de 40% dos adolescentes que iniciaram o consumo antes dos 15 anos de idade são mais suscetíveis ao desenvolvimento da dependência do álcool. [6]

 

Alguns fatores podem favorecer o uso de álcool na adolescência, e aliados a um componente genético, conduzir ao quadro de alcoolismo.

 

Filhos de pais alcoolistas apresentam maior suscetibilidade em iniciar o consumo mais cedo e desenvolver dependência. Ainda no tocante ao ambiente familiar, a falta de estrutura, a comunicação deficiente, a falta de atenção dos pais e a ausência de regras e limites são fatores que predispõem os jovens ao uso de substâncias. 2 Ingerir bebidas alcoólicas também está relacionado ao desejo de ser aceito pelo grupo de amigos, para “fugir” dos problemas pessoais e familiares, e ainda, servir para diminuir a inibição e a timidez em situações sociais. 1

 

O consumo abusivo de álcool entre os jovens pode trazer graves conseqüências. O número de acidentes automobilísticos relacionados à ingestão de álcool é significativo, e em sua maioria, neles estão envolvidos os jovens. Outra conseqüência agravante está relacionada ao comportamento sexual. É grande a incidência de relações sexuais sem o uso de preservativos entre pessoas alcoolizadas, oferecendo sérios riscos de contaminação de alguma DST ou de uma gravidez não planejada. Em adolescentes que o consomem regularmente pode ocorrer danos na aprendizagem e na memória. 2 Estudos com adolescentes que consomem álcool de forma abusiva apontam para uma diminuição em 10% do hipocampo – região cerebral responsável pela memória e aprendizado. [7]

 

Alguns comportamentos podem indicar se um adolescente está enfrentando problemas com álcool ou qualquer outra droga. No entanto é importante informar que alguns desses comportamentos são comuns nessa fase. Antes de procurar ajuda profissional, os pais devem atentar se muitos deles ocorrem ao mesmo tempo e de forma repentina. São eles 4:

 

- mudanças freqüentes de humor, irritabilidade sem causa aparente;

 

- problemas na escola, como falta de atenção, queda no rendimento e indisciplina;

 

- rebeldia;

 

- relutância em apresentar os novos amigos;

 

- desmotivação e baixa energia;

 

- falta de auto-cuidado, aparência desleixada;

 

- evidências de alguma substância em seus objetos pessoais, bolsas ou armários, ou ainda cheiro de álcool;

 

- dificuldades de memória, baixa concentração, olhos avermelhados, falta de coordenação motora.

 

A consulta a um especialista é muito importante para auxiliar os pais a encontrarem as melhores maneiras de prevenção e controle dos comportamentos disfuncionais nos adolescentes. A avaliação apropriada do jovem por um psicólogo ou psiquiatra especialista em dependência química poderá aumentar as chances de sucesso com as diretrizes de tratamento apropriado para cada situação.

 

 

 

Nosso site oferece mais informações sobre:

 

Adolescência: http://www.plenamente.com.br/desenvolvimento_humano.htm#5

 

Dependência química: http://www.plenamente.com.br/diagnosticos6.htm

 

 

 

Referências bibliográficas


 

[1] http://www.adroga.casadia.org/alcoolismo/alcool_e_adolescencia.htm

 

 

[2] http://alcoholism.about.com/cs/aerts/l/blnaa37.htm

 

 

[3] http://alcoholism.about.com/cs/teens/a/aa000307.htm

 

 

[4] http://www.drug-help.net/teens-alcohol.htm

 

 

[5] Galduroz JCF, Noto, AR, Carlini EA. IV levantamento sobre o uso de drogas entre estudantes de 1º e 2º graus de 10 capitais brasileiras. São Paulo: CEBRID - Escola Paulista de Medicina, 1997.

 

 

[6] http://niaaa.nih.gov

 

 

[7] http://www.alcoolismo.com.br/jovens.html

 

 

 

 

 

2005-10-20 00:00:00

Profissionais relacionados

  • Não existe(m) profissionais relacionados!

Temas relacionados

  • Não existe(m) tag(s) relacionada(s)!

Notícias relacionadas

  • Não existe(m) noticias(s) relacionada(s)!

Assine nosso Informativo

Cadastre-se gratuitamente e receba nossos Boletins:
CRP/SP: 3605/J
R. João da Cruz Melão 443, Morumbi, SP (mapa)
© 2017. Clínica Plenamente.
O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.