sair

Tecle enter ou retorno para busca

Prejuízos da Síndrome de Burnout para a qualidade de vida dos trabalhadores. Maria Alice Fontes


O homem dedica grande parte de seu tempo a atividades relacionadas ao trabalho, e essas por sua vez lhe garantem o sustento e um papel na sociedade. Dessa forma é de se esperar que a qualidade de vida das pessoas esteja atrelada a suas vivências no ambiente laboral.

De acordo com Soares (2008), o ato de trabalhar é inerente à natureza do ser humano e, através dele, o homem dá sentido ao mundo ao qual faz parte e constitui sua subjetividade. Desse modo, trabalhar seria algo prazeroso e realizador ao passo que estaria relacionado ao desenvolvimento psicossocial do sujeito.

Entretanto, com o processo de globalização e as sucessivas mudanças ocorridas no mundo do trabalho, o trabalhador vem tendo que responder a uma demanda laboral cada vez mais exigente.

Com isso, gera-se um desgaste físico e emocional intenso ao trabalhador, que se não receber tratamento adequado pode vir a desenvolver sérios problemas de saúde, dentre eles a Síndrome de Burnout (SB)

O significado do termo Burnout refere-se a alguma coisa que parou de funcionar por exaustão de energia, e teve sua origem nos Estados Unidos por volta de 1970, a fim de explicar o processo de prejuízos causados pelo contexto organizacional sobre a saúde dos trabalhadores.

Ao decorrer dos anos, a síndrome de burnout (SB) passou a ser compreendida como uma forma de resposta ao estresse ocupacional, caracterizada por comportamentos e sentimentos negativos que podem trazer prejuízos para várias áreas da vida do indivíduo.

Como ocorre o desenvolvimento da SB e quais são seus principais sintomas?

De acordo com Alvarez Galego e Fernandes Rios (1991), existem três momentos na manifestação da SB. O primeiro momento consiste na fase em que os recursos pessoais do indivíduo não são o suficiente para suprir a demanda de trabalho, gerando estresse e a autopercepção de se estar sobrecarregado.

No segundo momento da SB, percebe-se que o sujeito tenta se ajustar às exigências do trabalho. E é justamente nessa fase que podem surgir alguns sinais de irritabilidade, tensão, cansaço e dependendo do nível de estresse até mesmo síndromes de ansiedade.

Essa nova configuração no modo de perceber a si mesmo e os sentimentos que surgem no ambiente laboral, exige uma adaptação psicológica do indivíduo, e essa por sua vez causa prejuízos ao seu trabalho, diminuindo seu engajamento e senso de responsabilidade para com a função que desempenha.

E o terceiro e último momento caracteriza-se pela manifestação de atitudes defensivas, onde há a tentativa de se proteger das tensões internas e externas, gerando comportamentos de cinismo, tendência ao isolamento, retirada e rigidez.

De acordo com Maslach e Goldberg (1998), a SB surge como uma resposta desadaptativa do sujeito frente a uma demanda de trabalho muito longa e estressante, que excede seus recursos internos de lidar com os problemas.

E suas principais características são a exaustão emocional, a despersonalização e a redução da realização profissional que se manifestam através de sintomas físicos, psíquicos, comportamentais e os sintomas defensivos

Listamos logo abaixo, alguns destes sintomas

Sintomas físicos:

Cansaço constante e progressivo;
Dores musculares;
Dificuldade para dormir;
Enxaqueca;
Disfunções sexuais e alterações menstruais em mulheres.

Sintomas psíquicos:

dificuldade de concentração;
alterações da memória;
lentificação do pensamento;
impaciência;
baixa autoestima;

Sintomas comportamentais:

negligência;
dificuldade na aceitação de mudanças;
perda de iniciativa;
aumento do consumo de substâncias;
comportamento de alto risco;

Sintomas defensivos:

tendência ao isolamento;
sentimento de onipotência;
perda do interesse pelo trabalho ou até pelo lazer;
ímpetos de abandono do trabalho
cinismo

Apesar de a Síndrome de Burnout (SB) ter sua gênese no ambiente de trabalho, os seus sintomas podem prejudicar o indivíduo em diversas áreas de sua vida, sendo necessária a busca por ajuda profissional, seja através de psicólogos ou de médicos psiquiatras.

Métodos de prevenção da Síndrome de Burnout

A Síndrome de Burnout causa prejuízos não só para o sujeito que sofre com seus sintomas, mas também para a empresa. Isso porque pode haver a redução de produtividade, a imagem da empresa pode ser afetada, além de ter que se pagar pelo tratamento dos funcionários e pelo treinamento de novos colaboradores.

Portanto, a prevenção dessa síndrome traz benefícios para os colaboradores, para a organização e também para a sociedade como um todo.

Para isso, uma das estratégias fundamentais é a reorganização da estrutura organizacional. É fundamental que o trabalhador se sinta parte da organização e que exerça suas funções de forma engajada e responsável, sem a necessidade de ser coagido.

Além disso, é importante que haja a promoção dos valores humanos dentro das empresas, a fim de que o trabalhador possa ser enxergado não só como um empregado, mas também como um ser que possui desejos e interesses pessoas. É importante que tanto colaborador quanto organização estejam satisfeitos, para que um ambiente laboral harmonioso possa se estabelecer.

 

REFERÊNCIAS

https://www.youtube.com/watch?v=RD6sK2_nIVI

https://www.youtube.com/watch?v=8xD5itPA940

https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-793661

https://www.edools.com/valores-humanos/
 

2021-04-15 00:00:00

Plenamente Online

Informe seu e-mail* e receba nossos boletins

*Solicitaremos a confirmação na tela seguinte.
**Nunca usaremos suas informações para envio de spam