sair

Tecle enter ou retorno para busca

Janeiro Branco: a importância da saúde mental e do tratamento precoce. Maria Alice Fontes


Você conhece alguém que sofre de algum tipo ansiedade, depressão, abuso de substâncias ou algum outro problema de saúde mental?

Atualmente os transtornos mentais afetam uma em cada quatro pessoas no mundo em algum momento das suas vidas. Estima-se que cerca de 700 milhões de pessoas sofrem dessas condições no mundo, colocando os transtornos mentais entre as principais causas de problemas de saúde e incapacidade.

Existem muitos tratamentos disponíveis, oferecidos por psicólogos, psiquiatras e profissionais de saúde mental com evidências científicas. Acontece que infelizmente quase dois terços das pessoas com um transtorno mental não procuram ajuda de um profissional. Existem ainda muitos estigmas, discriminação e negligência que impedem as pessoas de procurarem tratamento. Onde há negligência, há pouco entendimento. O estigma relacionado com a doença mental provém do medo do desconhecido e de um conjunto de falsas crenças que intensificam o sofrimento e os riscos.

A Campanha Janeiro Branco teve início em 2019 e tem o objetivo de divulgar e conscientizar a população sobre a importância dos problemas de saúde mental na qualidade de vida das pessoas.

Os transtornos de saúde mental, já são a segunda principal causa de problema de saúde no mundo. Quando incluímos todos os problemas como transtornos e ansiedade, depressão, uso de substâncias, transtorno afetivo bipolar, esquizofrenia, transtornos alimentares e de personalidade, essas ficam atrás apenas das doenças do coração, mas à frente de todas as outras doenças.

Quais as causas dos problemas de saúde mental?

Embora a causa exata da maioria das doenças mentais não seja conhecida, está ficando claro através de pesquisas que muitas dessas condições são causadas por uma combinação de fatores biológicos, psicológicos e ambientais.

Quais fatores biológicos estão envolvidos na doença mental?

Algumas doenças mentais têm sido associadas ao funcionamento anormal dos circuitos das células nervosas que conectam regiões cerebrais específicas. As células nervosas dentro desses circuitos cerebrais se comunicam através de neurotransmissores. "Ajustar" esses neurotransmissores, através de medicamentos, psicoterapia ou outros tratamentos pode ajudar os circuitos cerebrais a funcionarem com mais eficiência. Além disso, lesões em certas áreas do cérebro também foram associados a algumas condições mentais.

Quais fatores psicológicos contribuem para a doença mental?

Os fatores psicológicos que podem contribuir para a doença mental incluem:

• Trauma psicológico sofrido quando criança, como abuso emocional, físico ou sexual
• Sentimentos de inadequação, baixa autoestima, ansiedade, raiva ou solidão
• Uma perda precoce importante
• Negligência
• Dificuldade de interação social

Em geral os problemas psicológicos são importantes desencadeantes de transtornos mentais, ou seja, quando a pessoa já tem uma predisposição genética, notamos que os eventos psicológicos estressores podem desencadear uma depressão, ansiedade ou agravar um quadro que já estava em evolução.

Quais fatores ambientais contribuem para a doença mental?

Certos estressores podem desencadear uma doença em uma pessoa suscetível a problemas de mental. Esses estressores incluem:

• Morte ou divórcio
• Uma vida familiar disfuncional
• Mudança de emprego ou escola
• Expectativas sociais ou culturais (por exemplo, uma sociedade que associa beleza à magreza pode ser um fator no desenvolvimento de distúrbios alimentares.)
• Abuso de substâncias pela pessoa ou por algum familiar próximo.

O que acontece quando não fazemos nada para mudar o curso dos problemas de saúde mental?

Quando negligenciamos os problemas de saúde mental, eles tendem a se manter sempre presentes na vida dos indivíduos. Quando tratamos o primeiro episódio de depressão, é provável que essa pessoa tenha o mesmo risco de recaída que uma pessoa que nunca teve depressão.

Quais os benefícios da intervenção precoce?

Pesquisas recentes indicam que a intervenção e o tratamento precoces afetam drasticamente o curso das doenças mentais e que muitas pessoas podem continuar a viver vidas normais e produtivas com tratamento adequado. A intervenção precoce pode ajudar as pessoas a melhorarem mais rapidamente e impedir que os problemas se agravem.

Como saber se você precisa de tratamento ou se está vivendo um momento isolado e normal de tristeza ou ansiedade?

Uma das importantes questões a observar é se, por exemplo, a tristeza é proveniente de um fator específico e se ela passa dentro de algumas semanas. Por exemplo, se você brigou com seu (sua) companheiro (a) ou se perdeu o emprego, claro que irá ficar triste, mas isso deve durar alguns dias e depois melhorará dentro de cerca de um mês. Se você nota que está sem ânimo, sem vontade, cansado, com problemas com o sono há mais de um mês e não vê nada que aconteceu diferente, talvez precise consultar um psiquiatra ou psicólogo para uma avaliação. Para mais informações acesse o artigo: http://www.plenamente.com.br/novidade/54/superando-depressao-como-os-psicologos-ajudam

A intensidade dos sintomas, o tempo que ele está presente e o quanto afeta as diferentes áreas da sua vida: pessoal, profissional e familiar são importantes indícios.

Não espere que os problemas se agravem, faça uma avaliação e comece seu tratamento o quanto antes. Se essa informação foi importante para você, ajude mais alguém e compartilhe o artigo.
 

2020-01-19 00:00:00

Plenamente Online

Informe seu e-mail* e receba nossos boletins

*Solicitaremos a confirmação na tela seguinte.
**Nunca usaremos suas informações para envio de spam