sair

Tecle enter ou retorno para busca

COMO OS PAIS PODEM SE APROXIMAR DOS FILHOS ADOLESCENTES DURANTE A PUBERDADE? Fernanda Lee, Maria Alice Fontes


A puberdade é a fase que sucede a infância e prepara a criança para se tornar um adulto. Muitas transformações acontecem nesse período em múltiplas áreas: afetiva, psicomotora, biológica, neurológica, social e psicológica. Ao contrário do nascimento, onde há um momento claro do nascimento do bebê, na puberdade não há um momento exato quando o seu filho ou filha está iniciando esse processo. Você já se preparou para ter uma ‘conversa de adulto’ com o seu adolescente ou pré-adolescente?

A Disciplina Positiva propõe conexão e proximidade entre pais e filhos por meio do diálogo e da escuta ativa. Por isso é importante validar e conversar sobre as mudanças fisiológicas e emocionais que estão prestes a acontecer ou já estão em andamento. A puberdade é multidimensional e multidirecional, e ao contrário do que as pessoas pensam, é um conceito diferente da adolescência. Enquanto que a puberdade é um conjunto de fenômenos biológicos e corporais, a adolescência é um fenômeno cultural, um conjunto de mudanças psicossociais que se desenvolvem a partir da puberdade.

Para aumentar a conexão, encontre um momento para conversar a sós com o seu filho ou filha, separado dos irmãos. Combine com seu parceiro se gostaria de conversar juntos ou em separado com o jovem. Inicie a conversa informalmente, deixando o jovem bem à vontade para escolher se prefere deitar no chão, no sofá ou em qualquer lugar confortável para ele . Quanto mais relaxado ele estiver, melhor ele aprenderá e se sentirá descontraído. Diga que você tem algumas informações para compartilhar sobre a puberdade. Listamos abaixo alguns tópicos que podem ser mencionados, lembrando que é fundamental usar uma linguagem apropriada à idade:

- Converse sobre a diferença entre o que é público e privado, dê exemplos em relação à vida social e ao seu próprio corpo. Se cabível, relacione isso ao perfil nas redes sociais do que ele acredita ser informação publica e o que é privada. Mencione exemplos sobre o que é público e o que é privado sobre o corpo dele também.

- Brinque com o jovem perguntando onde ele acha que a puberdade começa. No coração, no pulmão ou no cérebro? Compartilhe informação de que a puberdade começa no cérebro, onde está localizado o hipotálamo, responsável por liberar os hormônios que funcionam como um despertador do crescimento do corpo adulto.

- Aponte as áreas onde os pelos vão crescer e converse sobre a acne que pode aparecer. Diga como eles podem lidar com isso. Dedique um tempo para ensinar. Liste algumas opções do que fazer com os pelos (raspar, depilar, deixar crescer, etc) e os instrumentos para remover espinhas e como tratar acnes, caso apareçam.

- Caso tenha uma filha, use livros ou figuras para mostrar que o órgão reprodutor feminino é extravagante por dentro e muda com o tempo, e que para cada menina a velocidade de desenvolvimento será diferente. Não se compare com as outras porque somos criativamente diversas. Explique o que é menstruação e normalize que não há uma idade específica para acontecer. Apesar de aparecer em média aos 12 anos, a sua filha pode ser a primeira ou a última da turma a começar esse processo, e tudo bem!. Mostre 3 opções de absorventes: diário, regular e interno, e que quando chegar a hora, você estará disponível para ensina-la. Oriente que se a sua filha sentir que está menstruando quando estiver na classe, que peça licença para o professor falando que precisar tratar de uma ‘coisa de menina’. Presentei ela com uma bolsinha com coisas de menina para levar na mala.

- Caso tenha um filho, converse que o órgão reprodutor masculino é extravagante por fora e converse sobre os tons das brincadeiras que os meninos costumam falar nos vestiários, e como agir nesses casos. Não se compare com os outros porque somos criativamente diversos.

- Aponte que nem todas as mudanças são visíveis, algumas são emocionais. Nossos sentimentos podem mudar, e as vezes os hormônios podem nos tirar do equilíbrio. Mantenha-se firme! Crie um plano para usar nos momentos quando os jovens acharem que “a vida é dura ou injusta” ou um sinal não-verbal para se comunicarem quando o jovem sentir que a emoção está tomando conta dele. Sugira fazer respirações profundas, conversar com alguém que confiam, se manter fisicamente ativo, dar risada e ficar longe das telas para evitar publicar algo inapropriado quando as emoções estiverem exacerbadas.

- Crescer significa perder o corpo de criança e também adquirir algo novo. Conquistamos novas habilidades como tomar decisões mais complexas e ganhar dinheiro, mas perdemos progressivamente o colo e a dependência financeira dos pais. Eles ganharão mais responsabilidades na casa e também mais privilégios. Pensem juntos em quais seriam essas responsabilidade e privilégios.

- Demonstre empatia e imponha limites: os amigos começam a assumir um papel mais predominante na vida dos filhos, assim como a necessidade de privacidade. Por exemplo, o celular é importante para o jovem, mas não deve nunca substituir as relações presenciais.

- Dentre todas as mudanças da adolescência, uma das mais importantes é que o jovem perceba que os pais entendem que ele está mudando e buscando sua própria identidade. Deixe claro que é compreensível que eles irão querer estar mais com os amigos do que com a família, e que os dois são necessários e importantes.

- Reafirme sempre a confiança e a abertura para qualquer conversa, mesmo que eles achem que possa parecer difícil falar sobre tudo. Assuntos como drogas, intimidade sexual e problemas com o grupo de amigos são os mais típicos. Coloque-se aberto para abordados qualquer assunto. Com o fácil acesso em pesquisar esses assuntos delicados e importantes na internet, a vergonha e o tabu podem fazer com que o jovem vá buscar sozinho o que poderia conversar com você. Há muita informação na internet e devido à falta de filtros, o jovem pode se deparar com informações que podem aumentar a ansiedade e medo nessa fase.

Em resumo, os adolescentes estão buscando sua identidade e querem distância progressiva dos pais, ao mesmo tempo queremos estar próximos e continuar a ensinar tantas coisas. O segredo é buscar manter a conexão sem invadir a privacidade deles. Trata-los com respeito, compreensão e equilíbrio é o melhor caminho para que eles consigam se distanciar e depois voltar para manter o relacionamento com os pais.

Esperamos que esse possa ser um guia para começar um diálogo amoroso durante esta fase de muitas mudanças. Desejamos que você seja o principal recurso nesse assunto do seu/sua filh@.

Fontes

Signals and Symptoms of central precocious puberty.

www.pubertytooearly.com/subpages/cpp-signs-symptoms.aspx.

Sarpolis, Karen. Fisrt menstruarion: average age and physical signs. 18 Novembro 2011.

www.obgyn.net/young-women/first-menstruation-average-age-and-physical-signs.

Papalia, Diane E., Olds, Sally W., Feldman, Ruth D. Human development. New York: The McGraw-Hill Companies, 2006. 

2019-02-05 00:00:00

Plenamente Online

Informe seu e-mail* e receba nossos boletins

*Solicitaremos a confirmação na tela seguinte.
**Nunca usaremos suas informações para envio de spam