sair

Tecle enter ou retorno para busca

Problemas atencionais e sua reabilitação: programa de treinamento Pay Attention! Juliana Ortiz, Simone Sanches, Maria Alice Fontes


A atenção é um dos sistemas mais importantes e complexos da cognição, do qual dependem outras tantas funções essenciais para adaptação do organismo ao ambiente, como a memória e a aprendizagem. A atenção é mediada pelas regiões frontais do cérebro relacionadas diretamente as funções executivas.

O que são as funções executivas (FE)?
As funções executivas são um conjunto de processos cognitivos orientado a uma determinada meta, e incluem planejamento, organização, manejo do tempo, memória operacional, atenção sustentada, inibição dos impulsos, fluência verbal e pensamento abstrato. Todos esses processos cognitivos estão envolvidos na análise de determinada situação, assim como nas estratégias, antevendo as consequências de sua decisão. Falhas nestas funções interferem no processo de tomada de decisões e resolução de problemas. A principal região cerebral relacionada ao funcionamento executivo é o córtex pré-frontal. (Alvarez; Emory, 2006).

Os déficits de atenção e FEs estão relacionados a uma variedade de condiçõess clínicas incluindo trauma cerebral, anóxia/hipóxia, distúrbios globais e invasivos do desenvolvimento, exposição pré-natal a toxinas (como drogas e álcool) e distúrbios de aprendizagem, ou simplesmente a um distúrbio do neurdesenvolvimento.

Grande parte das crianças que apresentam dificuldades de atenção é diagnosticada com Transtorno do Déficit de Atenção e/ou Hiperatividade (TDAH), sendo esse um problema de saúde mental bastante frequente em crianças, adolescentes e adultos em todo o mundo. Dados mundiais apontam para uma incidência de 6 a 9% de crianças e adolescentes e 3 a 5% de adultos com o TDAH (Dopheide & Pliszka, 2009).

O que é o Transtorno do Déficit de Atenção e/ou Hiperatividade?
O Transtorno do Déficit de Atenção e/ouHiperatividade é um transtorno neurobiológico que aparece na infância e na maioria dos casos acompanha o indivíduo por toda a vida. Os sintomas podem se manifestar no início da infância, no entanto, o diagnóstico pode ficar mais evidente a partir do momento que a criança inicia a vida escolar, podendo apresentar uma série de dificuldades.

Sintomas comuns de desatenção:
• Dificuldade em prestar atenção a detalhes ou cometer erros por descuido em atividades escolares, de trabalho ou durante outras atividades;
• Ter dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas;
• Não escutar quando lhe dirigem a palavra;
• Não seguir instruções e não terminar deveres de casa, tarefas domésticas ou tarefas no local de trabalho;
• Ter dificuldade em planejar tarefas do cotidiano;
• Evitar ou relutar em se envolver em tarefas que exijam esforço mental prolongado;
• Perder objetos necessários às tarefas ou atividades;
• Ser facilmente distraído por estímulos externos.

Como pode ser feita a reabilitação cognitiva?
A reabilitação neuropsicológica ou cognitiva é um conjunto de atividades terapêuticas sistemáticas, funcionalmente orientadas que propiciam a melhora do funcionamento cognitivo (Cicerone et al, 2005).

Entre as diferentes modalidades que podem ser utilizadas no processo de reabilitação cognitiva estão os programas de “treinamento” de processos específicos, nos quais os vários componentes cognitivos são vistos como capacidades que podem ser melhoradas atravé
s de treinamento (Tamm, Epstein, Peugh, Nakonezny, & Hughes, 2012) e que segundo Miotto, Serrão, Guerra, Lucia e Scaf(2008), também auxiliam o indivíduo a utilizar efetivamente estratégias compensatórias, generalizando o aprendizado para tarefas da vida diária. 


Entre os programas estruturados de treinamento da atenção estão o Attention Process Training (APT; So- hlberg & Mateer, 2001) e sua versão para a infância, o Pay Attention! - A Children's Attention ProcessTraining Program (Thomson, Seidenstrang, Kerns, Sohlberg, & Mateer, 2005).

O que é o Treinamento Pay Attention?
O Pay Attention! foi desenvolvido a partir dos princípios do APT para uso em crianças de 4 a 10 anos de idade, com o objetivo de promover treinamento das dificuldades de atenção sustentada, seletiva, alternada e dividida.

Profissionais da área da saúde e educação, como, os fonoaudiólogos, psicólogos, psicopedagogos e neuropsicólogos atuam na aplicação do treinamentocomo importante instrumento de intervenção no Transtorno do Déficit de Atenção.

O programa de reabilitação Pay Attention visa desenvolver a atenção sustentada, atenção seletiva e atenção alternada / dividida. Alguns estudos (Tajik-Parvinchi D, Wright L, Schachar R. 2014) relataram efeitos de transferência para outras funções como por exemplo, melhor solução de problemas e capacidade matemática.

A eficácia do Pay Attention e do APT foi analisada em quadros de TDAH e em outras condições clínicas. (Butler & Copeland, 2002). Os estudos com o Pay Attention em crianças com TDAH, mostraram que é possível conseguir significativas melhoras em uma série de medidas não-treinadas de atenção e eficiência acadêmica. Sendo assim, o programa possibilita que as crianças passem por um treinamento dimensionado em etapas e seguindo uma hierarquia para auxiliar nas questões relacionadas ao planejamento, resolução de problemas e velocidade de informações.

A Clínica Plenamente está habilitada para oferecer reabilitação cognitiva para atenção e funções executivas, a partir de uma ampla avaliação neuropsicológica para o estabelecimento do plano de intervenção.


Bibliografia
Brocki, K. C., & Bohlin, G. (2006). Developmental change in the relation between executive functions and symptoms of ADHD and co-occurring behavior problems. Infant and Child Development, 15, 19-40. doi:10.1002/icd.413
Butler, R. W., & Copeland, D. R. (2002). Attentional processes and their remediation in children treated for cancer: A litera- ture review and the development of a therapeutic approach. Journal of the International Neuropsychological Society, 8(1), 115-124. doi:10.1017/S1355617701020112
Dopheide, J. A., & Pliszka, S. R. (2009). Attention deficit hyper- activity disorder: An update. Pharmacotherapy, 29, 656-679. doi:10.1592/phco.29.6.656
Miotto, E. C., Serra?o, V. T., Guerra, G. B., Lucia, M. C. S., & Scaf, M. (2008). Cognitive rehabilitation and mild cognitive impairment: A review of the literature. Dementia & Neurop- sychologia Journal, 2(2), 139-145.
Tamm, L., Hughes, C., Ames, L., Pickering, J., Silver, C., Stavinoha, P., ...Emslie, G. J. (2010). Attention train- ingfor school-aged children with ADHD: Results of an open trial. Journal of Attention Disorders, 14(1), 86-94. doi:10.1177/1087054709347446
Tajik-Parvinchi D, Wright L, Schachar R. Cognitive Rehabilitation for Attention Deficit/Hyperactivity Disorder (ADHD): Promises and Problems. J Can AcadChild Adolesc Psychiatry. 2014 Sep;23(3):207-17.
Thomson, J., Kerns, K., Seidenstrang, L., Sohlberg, M. M., & Mateer, C. A. (2005). Pay Attention! A children’s attention process training program. Wake Forest, NC: Lash.

2019-06-23 00:00:00

Informe seu e-mail e receba nossos boletins

*Nunca usaremos suas informações para envio de spam