sair

Tecle enter ou retorno para busca

Disciplina Positiva para casais. Maria Alice Fontes, Fernanda Lee


Dedicamos bastante tempo pensando nos filhos ou no trabalho. Mas como anda o seu relacionamento de casal?

O equilíbrio emocional e o bom funcionamento de qualquer casal são o primeiro passo para estruturar uma família saudável. Os desafios da vida moderna ao criar uma família, associado a pressão de seguir uma carreira podem criar estresse, distância emocional e até falta de respeito entre o casal. Se esses fatores não forem levados em consideração, eles podem continuar a prejudicar seu relacionamento, agravando as chances de separação ou divórcio.

Todo relacionamento importante traz o desafio de ser mantido, mas ele pode ser forte e saudável a medida que os indivíduos cuidem de si mesmo e da relação. É importante que cada um avalie sua própria história, suas principais crenças e prioridades de estilo de vida, entendendo como isso afeta o relacionamento e os filhos.

A Disciplina Positiva tem muito o que contribuir no relacionamento dos casais. Assim como com as crianças e adolescentes, o objetivo é restabelecer uma forte conexão, com boa comunicação, respeito, admiração e senso de pertencimento, sempre com foco em soluções, em vez de críticas.

A Dra. Jane Nelsen, autora da série de livros de Disciplina Positiva, junto com Mary Nelsen Tamborski desenvolveram um baralho, com 40 estratégias que ilustram uma série de ferramentas e dicas sobre os relacionamentos entre casais. Neste texto iremos abordar algumas delas.

A primeira dica é refletir sobre os objetivos comuns no relacionamento. Assim como nos workshops de Disciplina Positiva, questionamos para onde queremos ir com a educação dos filhos. Para os casais, vale refletir sobre planos futuros, como criar os filhos e outras metas em longo prazo. Quais são as expectativas e desejos de cada um? Como chegarão juntos lá?

Peça a cada parceiro para fazer uma lista de cinco coisas que acreditam compor um bom relacionamento. Compartilhe sua lista com a de seu parceiro. Discuta o que é importante para ele, não para você. Crie uma lista comum, com a qual os dois consigam compartilhar e ver seus desejos conciliados. Tente colocar essa lista em um lugar de destaque como um lembrete, onde os dois possam constantemente ser lembrados do que foi acordado. Isso será um bom mapa do destino para onde querem ir.

Outro ponto fundamental para um relacionamento de casal equilibrado é a escuta ativa. O seu parceiro irá ouvi-lo depois que se sentir ouvido. Pratique falar sobre como você se sente, sempre em primeira pessoa: "Eu me sinto... quando...". Evite falar sobre o outro diretamente de forma crítica e acusatória. Caso seu parceiro não consiga apenas falar apenas sobre si mesmo, ouça o que ele tem a dizer, como se ele estivesse falando sobre outra pessoa, não sobre você. Faça perguntas que convidem a saber mais informações: "Você pode me dar um exemplo?" Durante a conversa, procure escutar mais do que falar. Você pode chegar a conclusões e descobrir coisas só porque foi ouvido. Se isso não aconteceu, coloque a questão na agenda da reunião de casais para maior aprofundamento.

Quando falamos em Disciplina Positiva, sabemos que um dos principais alicerces é garantir o senso de conexão e relevância. Assim, a apreciação do seu parceiro é fundamental. Você está focando na apreciação ou nas críticas e ressentimentos? O que você mais presta atenção, tende a crescer. Uma dica seria fazer uma lista de coisas que você admira e aprecia sobre o seu parceiro. Depois, faça uma lista, na sua opinião, de quais são algumas falhas do seu parceiro. Avalie qual a lista você comunica com maior frequência. Tente sempre dizer ao seu parceiro o que você admira e aprecia sobre ele. Crie o hábito de verbalizar a admiração e dar elogios diariamente. Isso pode parecer estranho no começo, mas ficará mais fácil e natural com a prática e irá garantir um clima positivo para que tudo flua com tranquilidade.

Outra dica é usar sempre as perguntas curiosas. Ou seja, em vez de mandar e dizer o que o outro deve fazer, apenas pergunte. Mandar convida a resistência, enquanto perguntar com verdadeira curiosidade, envia uma mensagem ao cérebro para procurar uma resposta. Por exemplo, em vez de dizer que o outro está atrasado e pedir para se apressar, diga: "Quanto tempo mais você precisa para estar pronto para sair?"; "Como posso ajudar você agora?"; "Que horas seria melhor para você concluir esta tarefa?"; "Como posso te ajudar para garantir que tenhamos tudo o que precisamos para nossa viagem?"; "Quais são as suas ideias para nos ajudar a manter nosso orçamento?"

Se pudéssemos recomendar qual seria a ferramenta mais importante do casal, diríamos que seria a reunião de casal. Na reunião é o momento de falar sobre os assuntos que foram levantados durante um período, mas que ainda não foi possível aprofundar e resolver devido á correria do cotidiano. Tente definir um intervalo de tempo para fazer reuniões regulares. Torne essa data a mais importante no seu calendário. Crie uma agenda e coloque em um local visível e acessível para ambos. Adicione itens para discutir durante a reunião do casal. Assim como a reunião de família, inicie com agradecimentos. Foque em soluções para cada item na agenda. Escolha as soluções com as quais ambos concordam e encerre a reunião fazendo algo divertido juntos.

Na atual circunstância, uma recomendação importante é diminuir o tempo nas telas. As redes sociais e os smartphone são viciantes e interferem muito nos relacionamentos pessoais. Busque discutir os seus hábitos de tempo de tela com seu parceiro. Quanto tempo está envolvido? Como cada um de vocês se sente sobre isso? Reflita sobre soluções e inclua uma lista de coisas que você gostaria de fazer, em vez de ficar preso ao hábito das tela. Escolha as soluções e atividades com as quais você concorda. Tentem se apoiar mutuamente na difícil tarefa de diminuir a dependência do tempo nas telas.

Para conseguir encontrar soluções com mais regularidade, lembre-se como funciona o seu cérebro. Saiba que a comunicação amorosa não pode ocorrer quando você está chateado, bravo ou irritado. Durante os momentos de estresse, você não consegue acessar a parte racional do seu cérebro, apenas a parte mais primitiva de luta ou fuga. Quando isso acontece é muito difícil ser racional, então melhor nem tentar conversar naquele momento, mas retomar a conversa quando todos estiverem mais calmos. Concorde antecipadamente que o primeiro a perceber o que está acontecendo pedirá um tempo extra e irá conversar apenas depois de se acalmar. Essa dica simples lhe poupará de muitos problemas.

Caso tudo dê errado, nunca se esqueça que erros são oportunidades de aprendizado. Vale acolher os erros, respondendo com compaixão e gentileza ao seu parceiro. Evite sempre o julgamento e a culpa. Tente acessar seu lado mais humilde, lembrando-se que você não é perfeito e também comete erros. Ouça sem oferecer conselhos, apenas seja empático. Quando o seu parceiro estiver pronto, faça perguntas curiosas para entender melhor a situação e ajuda-lo a se sentir ouvido.

Saiba que o compromisso fornece uma base sólida para qualquer relacionamento. O que significa compromisso para cada um de vocês? Como estão demonstrando o compromisso entre si. Primeiro reflita sobre esta questão e, em seguida, compartilhe um com o outro. Quais ações você está disposto a fazer para tornar seu comprometimento significativo?

Essas são apenas algumas dicas de Disciplina Positiva para casais. Você pode encontrar muitas outras no baralho para casais, que estará disponível em Português pela Editora Manole. Por enquanto, aproveite o material criado pela Dra. Jane Nelsen e Mary Tamborsky www.positivediscipline.com/products/keeping-joy-marriage-tool-cards.

Caso precise de ajuda, não hesite em procurar um profissional habilitado para intermediar suas conversas de casal a fim de proporcionar um clima de mais proximidade, conexão, respeito e significância no seu casamento.

2018-05-15 00:00:00

Informe seu e-mail e receba nossos boletins

*Nunca usaremos suas informações para envio de spam