Página Inicial

13 Reason Why: o que especialistas de saúde mental alertam. Clínica Plenamente

A série de TV  Americana “13 Reasons Why” (TRW) é uma história de ficção baseada em drama adolescente Thirteen Reasons Why (2007), de Jay Asher e adaptado por Brian Yorkey para a Netflix. 

A série gira em torno de Clay Jensen, um estudante tímido do ensino médio, que encontra uma caixa na porta de sua casa. Ao abri-la, ele descobre que a caixa contém sete fitas cassete gravadas pela falecida Hannah Baker, sua colega que cometeu suicídio recentemente. Inicialmente, as fitas foram enviadas para um colega, com instruções para passá-las de um estudante para outro. Nas fitas, Hannah explica para treze pessoas que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Hannah deu uma cópia das fitas para Tony, um de seus colegas da escola, que avisa para as pessoas que, se elas não passarem as fitas para frente, as cópias vazarão para todo mundo, o que poderia levar ao constrangimento público, enquanto outros poderiam ser ridicularizados ou presos.

Esta série feita para adolescentes e seus pais, aborda a questão do suicídio e desde que foi lançada no Brasil provocou um amento significativo de chamadas para o CVV (Centro de Valorização da Vida).

A organização americana SAVE (Suicide Awareness Voices of Education) publicou um documento com algumas recomendações que trazemos aqui traduzidas:

- Você pode ter experiências e pensamentos semelhantes a alguns dos personagens em 13RW. As pessoas frequentemente se identificam com personagens que veem na TV ou nos filmes. No entanto, é importante lembrar que existem maneiras mais saudáveis de lidar com os tópicos abordados em 13RW. Atuar sobre os pensamentos suicidas não é um deles.

- Se você assistiu à série e sentiu que precisa de apoio ou de alguém para falar. Procure um amigo, membro da família ou terapeuta. Há sempre alguém que vai te ouvir.

- O suicídio não é uma resposta comum aos desafios ou adversidades da vida. A grande maioria das pessoas que experimentam bullying, morte de um amigo ou qualquer outra adversidade descrita em 13RW não cometem suicídio. Na verdade, a maioria consegue falar com os outros, procura ajuda ou encontra outras formas produtivas de lidar com cada situação. Mesmo com muitas adversidades, a maioria continua levando suas vidas de forma saudável e normal.

- O suicídio nunca é um ato heroico ou romântico. O suicídio de Hannah (embora fictício) é um filme e deveria ser visto como uma tragédia. Ele tem objetivos preventivos, deve servir para alertar pais e jovens sobre a realidade deste momento importante de vida e sobre alguns problemas de saúde mental que podem acontecer.  

- É importante saber que, apesar da série expor grandes falhas de tratamento, há muitos opções de tratamento apropriado para desafios de vida, angústia e doença mental. O tratamento funciona.

- O suicídio afeta todos e todos podem fazer algo para ajudar se veem ou ouvem sinais de alguém que está em risco de suicídio.

- Falar de forma aberta e honesta sobre o sofrimento emocional e sobre pensamentos de suicídio é fundamental e deve ser aceito. O falar não irá fazer alguém mais suicida ou colocar ideias de suicídio em sua mente. Se você está preocupado com alguém, pergunte a eles sobre isso.

- Saber reconhecer e responder a alguém que compartilha seus pensamentos de sofrimento emocional ou desejo de suicídio com você é importante. Não julgue a pessoa, nem seus pensamentos. Ouça. Seja atencioso e gentil. Ofereça ficar com ele. Ofereça companhia para obter ajuda ou para entrar em contato com uma linha especializada em crise, tipo CVV (www.cvv.org.br) 

- A maneira como o orientador da escola na série 13RW responde aos pensamentos de suicídio de Hannah não foi apropriado e não é típico da maioria dos orientadores agem. Eles são profissionais e uma fonte confiável de ajuda. 

- Se você já tentou falar com alguém e acha que foi inútil, procure outras fontes de apoio, como um terapeuta.

- Embora nem todo mundo saiba o que dizer ou tenha uma reação apropriada, há pessoas que fazem isso de forma profissional, então continue tentando encontrar alguém que o ajude. Se alguém lhe disser que estão pensando em se matar, leve-o a sério e busque ajuda.

- Quando você morre não consegue fazer um filme ou falar com as pessoas. Deixar mensagens de além do túmulo é uma dramatização produzida em Hollywood e não é possível na vida real.

- Fazer o memorial de alguém que morreu por suicídio não é uma prática recomendada. Decorar o armário de alguém que morreu por suicídio e fazer selfies na frente de um tal memorial não é apropriado e não honra a vida da pessoa que morreu por suicídio.

- As fitas de Hannah culpam os outros por seu suicídio. O suicídio nunca é culpa dos que ficaram sentindo a perda. Existem grupos de apoio para pessoas que perderam entes queridos, que comprovam que o suicídio é uma decisão de alguém que está doente, não é culpa de ninguém.

Se você está tendo pensamentos de suicídio, procure ajuda, tratamento com um bom profissional de saúde mental te ajudará.

 
Bibliografia:
 
https://www.save.org
 
http://go.kognito.com/13reasonswhywebinar.html
 
http://go.kognito.com/rs/143-HCJ-270/images/PK12_Webinar_041117_13ReasonsWhyTalkingTips.pdf
 
http://www.cvv.org.br/

 

2017-04-28 00:00:00

Profissionais relacionados

Assine nosso Informativo

Cadastre-se gratuitamente e receba nossos Boletins:
CRP/SP: 3605/J
R. João da Cruz Melão 443, Morumbi, SP (mapa)
© 2017. Clínica Plenamente.
O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.