Página Inicial

O que é Terapia Cognitiva? Maria Alice Fontes

O que é Terapia Cognitiva?


A Terapia Cognitiva (TC) ou Terapia Cognitiva Comportamental (CBT) foi desenvolvida pelo Dr. Aaron T. Beck, psiquiatra e professor da Universidade de Pensilvânia, EUA. Nascido em 18 de julho de 1921, Dr. Beck tem hoje 90 anos. Ele dirige o Beck Institute of Cognitive Therapy na Philadelphia, junto com sua filha, Judith Beck. 


A Terapia Cognitiva é uma forma focalizada de psicoterapia em que o terapeuta e o cliente trabalham juntos como uma equipe para identificar e resolver problemas. Os terapeutas ajudam os clientes a superar as dificuldades, trabalhando com seus   pensamentos, comportamentos e reações emocionais.


Quais são as indicações da Terapia Cognitiva?


A terapia cognitiva é reconhecidamente eficaz através de estudos de meta análise, tanto para ansiedade (Gould RL et al. 2012), quanto para depressão (Jakobsen JC et al, 2011), abuso de substâncias (Magill M, Ray LA, 2009) e transtornos alimentares (Vocks S et al, 2010). Atualmente também está sendo utilizada com sucesso para transtornos de personalidade (Rafaeli E, 2009).


A terapia cognitiva tem demonstrado ser eficaz como adjuvante da medicação para transtornos mentais graves, tais como distúrbio bipolar e esquizofrenia (Podawiltz A, 2012), além de estar sendo utilizada também para o tratamento de adolescentes e crianças, casais e famílias. Sua eficácia foi estabelecida no tratamento de certas doenças, como a síndrome do intestino irritável, síndrome da fadiga crônica, hipertensão, fibromialgia, depressão pós-infarto do miocárdio, dor torácica não cardíaca, câncer, diabetes, enxaqueca e outros distúrbios de dor crônica (Driessen E, Hollon SD, 2010). 


Qual é a teoria por trás da Terapia Cognitiva?


A Terapia Cognitiva é baseada no modelo cognitivo: a percepção sobre as situações influenciam como nos sentimos. Por exemplo: se você está aprendendo um esporte novo, e está pensando como é divertido este tipo de atividade, provavelmente irá se sentir feliz e entusiasmado. Se está pensando que pode se machucar, cair ou passar vergonha frente aos outros, provavelmente irá sentir medo e ansiedade. Ou seja, os pensamentos espontâneos sobre as situações, influenciam as emoções, comportamentos, reações psicológicas e fisiológicas. 


Como funciona o tratamento psicológico com Terapia Cognitiva?


Se tomarmos a vida em toda sua complexidade, as percepções dos indivíduos quando distorcidas e disfuncionais podem gerar sentimentos de tristeza, angústia e ansiedade. Com o tratamento, os pacientes podem aprender a identificar e avaliar os seus "pensamentos automáticos" e corrigi-los para que estes se aproximem mais da realidade. Quando isso ocorre, nota-se que a angústia e a ansiedade geralmente diminuem. Com o tratamento os pacientes são capazes de se comportar de maneira mais funcional.  As pessoas aprendem a identificar e modificar as suas crenças distorcidas, desenvolvem uma compreensão básica de si mesmos e do mundo, além de serem estimulados a compreenderem as relações sociais e sua interferência sobre elas. Quando as crenças distorcidas influenciam o processamento de informações, dão origem aos pensamentos distorcidos e estes são responsáveis pelos principais transtornos psicológicos. Os terapeutas utilizam um processo de questionamento socrático para ajudar os pacientes a avaliar e responder a seus pensamentos automáticos e crenças nucleares, ajudando-os a se engajarem e modificarem seus próprios pensamentos e consequentemente, seus sentimentos, emoções e respostas fisiológicas.


Qual é o objetivo da Terapia Cognitiva?


O objetivo da terapia cognitiva é ajudar os indivíduos a atingir a remissão de sua doença e evitar a prevenção de recaída. Grande parte do trabalho nas sessões envolve a resolução de problemas da vida atual, ensinando-os a modificar o seu pensamento distorcido e a adotar um comportamento mais adaptado, onde o afeto pode ser bem elaborado. Os terapeutas programam o tratamento com base em uma formulação cognitiva dos transtornos mentais, ou seja, através de uma concepção individualizado do processo cognitivo de cada paciente. Esta estrutura é usada para entender como os eventos de vida e experiências levaram ao desenvolvimento de crenças disfuncionais, suposições fantasiosas e falhas nas estratégias de enfrentamento. 


Quais as diferenças de uma Terapia Cognitiva das outras abordagens?


Uma forte aliança terapêutica é característica fundamental da terapia cognitiva. Terapeutas cognitivos iniciam o tratamento explicando para o pacientes sobre o processo de tratamento. Em cada sessão, solicitam a ajuda dos pacientes para resolver problemas que estão em maior evidência. Cada sessão inclui a checagem do humor, uma ponte com as sessões anteriores e a discussão de problemas específicos e das habilidades de resolver estes desafios. 


Os terapeutas são colaborativos e funcionam como uma equipe com os pacientes. Eles fornecem justificativas e buscam um acordo com os pacientes ao realizarem as intervenções. Tomam decisões mútuas sobre como o tempo será gasto em uma sessão, quais os problemas serão discutidos e quais tarefas podem ser úteis em cada situação. Os pacientes se envolvem em um processo de empirismo colaborativo com os terapeutas para investigar a validade dos pensamentos e das crenças disfuncionais.


Quanto tempo leva um tratamento com Terapia Cognitiva?


A terapia cognitiva é baseada em um processo educativo e os pacientes são auxiliados a desenvolverem habilidades cognitivas, comportamentais e de regulação emocional para que possam se tornar seus próprios terapeutas. Isso permite que a terapia cognitiva tenha um tempo limitado para muitos pacientes. Casos leves de ansiedade ou depressão unipolar, podem se beneficiar de cerca de 12 a 24 sessões, enquanto pacientes com transtornos de personalidade ou doenças psicológicas crônicas geralmente precisam de tratamentos mais longos (6 meses a 1 ano), com sessões adicionais periódicas de reforço.


Qual o papel da medicação?


Terapeutas cognitivos são práticos e colaborativos e podem discutir as vantagens e desvantagens de medicação com você. Muitos pacientes são tratados sem medicação. Algumas desordens, no entanto, respondem melhor a combinação de medicamentos e Terapia Cognitiva. Se você estiver usando  medicação ou se estiver considerando uso de medicação, você pode discutir com o seu terapeuta sobre a necessidade de ter uma consulta psiquiátrica com um especialista para garantir que você está com o tipo e a dosagem certa da medicação. Se você não estiver sob medicação e não pretende estar, você e seu terapeuta podem iniciar um tratamento psicológico e depois de quatro a seis semanas  avaliarem a necessidade e o quanto você progrediu apenas com terapia. 



Bibliografia 


Este texto foi traduzido e adaptado do Beck Institute for Cognitive Behavioral Therapy por Maria Alice Fontes, PhD. http://www.beckinstitute.org/cognitive-behavioral-therapy/


Gould RL, Coulson MC, Howard RJ. Efficacy of cognitive behavioral therapy for  anxiety disorders in older people: a meta-analysis and meta-regression of randomized controlled trials. J Am Geriatr Soc. 2012 Feb;60(2):218-29. 


Jakobsen JC, Lindschou Hansen J, Storebø OJ, Simonsen E, Gluud C. The effects  of cognitive therapy versus 'treatment as usual' in patients with major depressive disorder. PLoS One. 2011;6(8):e22890. Epub 2011 Aug 4. Review. 


Vocks S, Tuschen-Caffier B, Pietrowsky R, Rustenbach SJ, Kersting A, Herpertz  S. Meta-analysis of the effectiveness of psychological and pharmacological treatments for binge eating disorder. Int J Eat Disord. 2010 Apr;43(3):205-17.


Rafaeli E. Cognitive-behavioral therapies for personality disorders. Isr J

Psychiatry Relat Sci. 2009;46(4):290-7. Review. 


Podawiltz A. A review of current bipolar disorder treatment guidelines. J Clin Psychiatry. 2012 Mar;73(3):e12.


Driessen E, Hollon SD. Cognitive behavioral therapy for mood disorders: efficacy, moderators and mediators. Psychiatr Clin North Am. 2010 Sep;33(3):537-55. Review. 

 

2012-04-15 00:00:00

Profissionais relacionados

Assine nosso Informativo

Cadastre-se gratuitamente e receba nossos Boletins:
CRP/SP: 3605/J
R. João da Cruz Melão 443, Morumbi, SP (mapa)
© 2017. Clínica Plenamente.
O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.