Página Inicial

Estudo de imagem revela o processo de maturação do cérebro

O centro cerebral responsável pelo mais sofisticado processo de raciocínio e solução de problemas é um dos últimos locais de maturação, revela um novo estudo de neuroimagem. O longo trabalho de uma década, realizado pelo Instituto Americano de Saúde Mental (NIMH) e pela Universidade de Los Angeles na Califórnia (UCLA), utilizou imagens de ressonância magnética (MRI) e estudou o desenvolvimento cerebral normal dos 4 aos 21 anos. Os resultados mostram que a cortex pré frontal, o centro cerebral das “ordens superiores” não alcança a maturação completa até início da vida adulta.

As imagens de ressonância magnética coletadas durante o período de 15 anos, entre os 5 e os 20 anos, foram colocadas em sequência dinâmica e se assemelharam a um filme de três dimensões mostrando a maturação do cérebro. Observou-se que o tecido de massa cinzenta ainda imaturo vai diminuindo como uma onda, da parte posterior para a frontal, refletindo a perda progressiva de conexões neuronais não utilizadas.

Os pesquisadores escanearam as mesmas 13 crianças e adolescentes sadios a cada dois anos, enquanto eles cresciam durante um período de 10 anos. Após terem registrado as imagens consecutivas, por meio de marcadores cerebrais anatômicos, eles visualizaram as modificações na substância cinzenta que ainda estava em desenvolvimento, os neurônios e suas projeções em mapas que acabaram se apresentando como “filmes” mostrando a maturação do cérebro desde os 5 aos 20 anos de idade.

Há muito tempo se tem conhecimento que existe uma superprodução de conexões neuronais durante os primeiros 18 meses de vida, seguida de um posterior declínio e descarte dos circuitos que não são utilizados. Nos anos 90, Dr. Jay Giedd et. col., co autores do presente estudo, descobriram uma segunda fase de superprodução de substância cinzenta, seguida de um novo descarte de circuitos não utilizados durante a puberdade.

O estudo atual mostrou que as primeiras áreas a se maturarem são as extremidades frontais e posteriores do cérebro, que são responsáveis pelas funções primárias como o processamento das sensações, visão e movimento. As áreas envolvidas na orientação espacial e linguagem (lobo parietal) se maturam em seguida. As áreas responsáveis pelas funções mais elaboradas, como a integração das funções a partir das sensações, o raciocínio e as funções executivas (córtex prefrontal) são as últimas a se maturarem.

As funções executivas são um grupo de habilidades superiores de organização e integração que estão conectadas neuroanatomicamente a diferentes vias de interação neuronal envolvendo a cortex prefrontal. Esta rede de funções auto dirigidas possibilita a avaliação das conseqüências sociais, ponderando os resultados imediatos e tardios de forma integrada. Os autores demonstraram que a rede prefrontal é a última área cerebral a se maturar, sendo a área responsável pelo planejamento, sequenciamento hierárquico e o auto monitoramento de tarefas de acordo com o plano inicial. Em geral, o estabelecimento pleno destas habilidades coincide com a maturação física e emocional encontrada no final da adolescência. (Damasio, 1994; Lezak, 1995; Pineda, 2000; Roberts et al., 1998)

Em um estudo relacionado, publicado há alguns anos, Rapoport e colaboradores descobriram que os portadores de esquizofrenia de início precoce possuem uma perda aumentada de substância cinzenta durante a adolescência. Neste estudo, os jovens com diagnósticos de esquizofrenia antes da puberdade, perderam mais de quatro vezes o volume de substância cinzenta no lobo frontal, sugerindo que o início precoce da esquizofrenia pode ser resultado de uma desorganização no processo de maturação, possivelmente relacionado com o corte ou a perda excessiva de sinapses. Por outro lado, crianças com autismo apresentam um aumento de substância cinzenta que não consegue chegar a maturação, sugerindo uma falha precoce no processo normal de desenvolvimento cerebral.



Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.

Estas imagens foram construídas por meio de ressonância magnética cerebral (MRI) de crianças e adolescentes, durante 15 anos de desenvolvimento do cérebro. O vermelho indica maior quantidade de substância cinzenta, ainda imatura, conectando-se de forma pouco ordenada. A substância cinzenta diminui da área posterior para a anterior a medida que o cérebro vai se maturando e o excesso de conexões neuronais vai sendo progressivamente cortado e ordenado. As áreas responsáveis pelas funções básicas se maturam precocemente, áreas de funções mais elaboradas maturam depois. A área prefrontal responsável pelo raciocínio mais elaborado e pelas funções executivas se desenvolve por último na seqüência de maturação normal do cérebro.

Este texto foi traduzido e adaptado pela Plenamente a partir do site www.nimh.nih.gov

2004-09-16 00:00:00

Profissionais relacionados

  • Não existe(m) profissionais relacionados!

Temas relacionados

  • Não existe(m) tag(s) relacionada(s)!

Notícias relacionadas

  • Não existe(m) noticias(s) relacionada(s)!

Assine nosso Informativo

Cadastre-se gratuitamente e receba nossos Boletins:
CRP/SP: 3605/J
R. João da Cruz Melão 443, Morumbi, SP (mapa)
© 2017. Clínica Plenamente.
O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.